Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Moradores do Jardim Paloma protestam contra enchentes
Para não sobrecarregar o tanque, o proprietário abriria a represa. A água desceria forte no córrego da rua. Além disso,...
Moreira Franco: Colonialismo tributário
Só em 2012, os brasileiros gastaram nos Estados Unidos US$  8 bilhões --valor quase equivalente à diferença entre o que...
veja mais

 

31/03/2010 - Monumento do centenário pede socorro

Celso Antônio Rossi

No ano 2000 Jacarezinho comemorou o 1º centenário de sua emancipação política com a realização de muitos eventos. Na época fez-se o possível para que o acontecimento não passasse despercebido para a comunidade. E com esse intuito foi criada a Comissão do Centenário que tinha como uma de suas finalidades criar um marco que registrasse a data. E foi assim que se contatou o artista plástico Roney W. Erthal, que fora aluno do mestre Poty Lazarotto e que aceitou realizar gratuitamente um painel de azulejos que contaria, através de sua pintura, a história de Jacarezinho.

O trabalho artístico foi realizado graças à parceria com uma empresa, que cedeu os azulejos e realizou a sua queima, e ainda o apoio da Secretaria da Cultura de São José dos Pinhais, que cedeu as instalações para a realização da pintura. Imaginava-se que ele se perpetuaria no tempo!

O trabalho retrata o início da colonização do município com a chegada dos pioneiros, dentre eles o primeiro padre e o primeiro médico da cidade. Em seguida é representada a chegada das famílias e dos lavradores observando-se as fases da semeadura e da colheita, o ciclo do café e da cana-de-açúcar, que marca a agricultura de Jacarezinho nos dias atuais. O painel mostra ainda a agroindústria e algumas características marcantes de Jacarezinho, como as andorinhas que daqui fazem sua rota de passagem e o Morro do Cruzeiro. Também o teatro, a dança, a música e o carnaval, aspectos culturais da cidade, são ali mostrados.

O belo painel com cem metros de comprimento por dois de altura, considerado uma das maiores obras murais do Estado do Paraná e que deveria ser motivo de orgulho e do cuidado de todos, foi implantado no muro da Faculdade de Filosofia, logo à entrada da cidade. Embora sem registro no local, era ele o marco do centenário de Jacarezinho.

Menos de 10 anos depois, ele praticamente deixou de existir. Aliás, ele já vinha sofrendo deterioração: grafiteiros pichavam-no, vândalos atacavam-no, alguns buracos para escoamento de água foram feitos, procedeu-se a retirada de muitos azulejos sabe-se lá por que e para que, tudo indicando que não havia o cuidado que deveria existir com aquele importante monumento.

Por fim, com as chuvas de dezembro e sem que se cuidasse do escoamento de água pluvial, uma parte do mural desmoronou-se. Culpa de quem? Da natureza ou das obras que se realizaram dentro daquele terreno, com movimentação de terra sem o cuidado necessário? Do poder público que não zelou pelo importante trabalho? Da direção da faculdade? Difícil apontar qual ou quais os culpados. Mas eles existem, com certeza.

Mas o triste mesmo é ver que o painel de azulejos não existe mais por estar parcialmente mutilado! Mais triste ainda é que continuam a se realizar obras no local destruindo-o a cada dia mais. Um lugar que não preserva sua história não pode pensar em um futuro consolidado em raízes.

Reconstruir o Painel é uma obrigação do Poder Público! E reimplantá-lo em uma praça pública onde possa ser visto e apreciado por toda a população é indispensável!

Que os responsáveis por aquele patrimônio histórico e cultural de Jacarezinho se movimentem em sua recuperação. Esta cidade sempre foi conhecida pelo seu valor cultural. Não se pode deixar que a omissão de alguns empane a sua tradição.

CELSO ANTÔNIO ROSSI é advogado e professor emérito da Faculdade Estadual de Direito do Norte Pioneiro em Jacarezinho

- Os artigos devem ter, no máximo, 60 linhas e mínimo de 30 linhas. Os artigos publicados não refletem, necessariamente, a opinião do jornal. opiniao@folhadelondrina.com.br.

Folha de Londrina – 29-03-2010

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Folha de Londrina
Imprimir   enviar para um amigo
DEFEITO LEVA À TROCA DE CELULAR
O Telefone celular é um desses produtos que facilitam a vida de tal maneira que, depois que se tem um, torna-se praticamente impossível viver sem ele.
APARELHO CELULAR MOTOROLLA V.710
Telefone Motorolla V.710 é problemático.
Filmadora digital CANON não presta!
Filmadora digital Canion NTSC ZR60 é porcaria.
Oficenet do Brasil não devolve dinheiro do consumidor
Compra pela Internet. Firma envia mercadoria não pedida e não devolve dinheiro da mercadoria devolvida.
Cartucho HP Color marca MASTERPRINT
Revendedora MULTIPEL não honra a garantia do produto Cartucho HP marca Masterprint.
HITACHI ASSISTÊNCIA TÉCNICA SOME COM APARELHOS DE CLIENTE
Assistência técnica dá sumiço em aparelhos de som de cliente.

Total de Resultados: 14176

Mostrando a página 1418 de um total de 1418 páginas

InícioAnterior1409141014111412141314141415141614171418

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover