Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Não comprem sem consultar antes o nome da loja ou site aqui no site www.reclamando.com.br
Para visualizar o conteúdo desta matéria clique no título da mesma.
Envelhecer dói
Qual o valor da experiência de vida? No Brasil, quase nada. Envelhecer no nosso país é quase um pecado mortal QUAL O...
veja mais

 
01/01/2012 - 20:31 - Judiciário - Corregedora chama associações de juízes de “mentirosas”

Gláucio Dettmar/ CNJ
 
 
“Eu só posso lamentar porque tudo isso é fruto de maledicência e de irresponsabilidade da AMB, da Anamatra e da Ajufe, que mentirosamente desinformam a população.” Eliana Calmon, corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

Eliana Calmon nega que estaria investigando 231 mil magistrados, servidores e seus parentes

A ministra Eliana Calmon, corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), chamou ontem as associações representativas de juízes de mentirosas, maledicentes e corporativas. A ministra se disse vítima de uma “tentativa de linchamento moral”. Eliana negou a informação das associações de que ela estaria investigando 231 mil magistrados, servidores de tribunais e seus parentes. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) analisou 216.800 nomes e encontrou 3.438 pessoas com movimentações atípicas. Mas ela sustentou ontem que os magistrados sob suspeita não passam de 500 integrantes de 22 tribunais.

“Eu só posso lamentar porque tudo isso é fruto de maledicência e de irresponsabilidade da AMB [Associação dos Magistrados Brasileiros], da Anamatra [Asso­­ciação dos Magistrados da Justiça do Trabalho] e da Ajufe [Associação dos Juízes Federais do Brasil], que mentirosamente desinformam a população, ou informam com declarações incendiárias e inverossímeis, e passam a dizer o inexistente, falar o indevido e detratar um órgão que pretende defender as instituições brasileiras da corrupção que se alastra neste país”, afirmou.

A corregedora disse que, com base em dados fornecidos pelo Coaf, 150 magistrados de São Paulo tiveram a movimentação financeira considerada atípica porque receberam mais de R$   250 mil por ano. No estado, 45% dos juízes não apresentaram declaração de Imposto de Renda ao tribunal, contrariando a lei.

Eliana também contou que as inspeções verificaram irregularidades do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas e na Justiça Militar, sem dar detalhes. Segundo a ministra, o Coaf passa dados ao CNJ porque a legislação permite. A corregedoria examinou dados relativos aos anos de 2009 e 2010. O relatório do Coaf incluiu, no entanto, outros três anos: 2006, 2007 e 2008.

A ministra esclareceu que as movimentações atípicas não necessariamente constituem irregularidades. E que ainda não teve acesso às cifras envolvidas. Agora, os técnicos do CNJ vão examinar os pagamentos para dizer quais são ilegais. Há casos aceitáveis — como, por exemplo, heranças recebidas ou eventual venda de imóvel que represente ganho na renda do magistrado. Após essa verificação, os tribunais serão procurados para prestar eventuais esclarecimentos.

Ao fim, os técnicos do conselho vão elaborar um relatório dizendo quais juízes teriam recebido dinheiro indevido. O relatório final será “trancado em um cofre”, segundo a ministra, já que o Supremo Tribunal Federal (STF) impediu a continuidade da apuração. Ela negou as acusações das associações de que teria acessado dados bancários dos magistrados sem autorização judicial.

Judiciário - Coaf identificou movimentação financeira irregular

Luiz Silveira/ CNJ

 
 
Gilson Dipp: apuração do Coaf começou na gestão do ex-corregedor do CNJ, em 2009

Transações consideradas fora do padrão de magistrados se concentram no Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia

Depois de cruzar dados financeiros com CPFs e nomes de 216.800 magistrados e servidores de 22 tribunais do país, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou que a maioria das movimentações consideradas fora do padrão se concentra no Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. O trabalho do Coaf foi feito a pedido da corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e abrangeu operações de 2006 a 2010. A investigação provocou reação virulenta de entidades que representam magistrados.

Uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a apuração do CNJ. Na última segunda-feira, o ministro Marco Aurélio Mello deu liminar proibindo o conselho de investigar qualquer juiz que não tenha sido antes investigado pela corregedoria do tribunal onde trabalha.

Segundo o Coaf, 3.438 pessoas fizeram operações consideradas atípicas. Das 233 pessoas responsáveis pelas maiores transações financeiras fora do padrão apenas três respondem por 46,3% do total movimentado de R$   112,9 milhões. Dois são servidores do Judiciário e um é ocupante de cargo de confiança.

A apuração do CNJ foi iniciada em 2009, quando o corregedor era o ministro Gilson Dipp. Ele solicitou aos tribunais nomes completos e CPFs de todos magistrados e servidores de 22 cortes. Todos os dados foram repassados ao Coaf para que verificasse se algum nome ou CPF aparecia em movimentação financeira considerada atípica. Em fevereiro deste ano, veio a resposta: um arquivo digital nomes, valores e gráficos. A corregedora já era Eliana Calmon. Com base nessas informações, Calmon assinou despacho no dia 1.º de dezembro determinando uma série de inspeções nos tribunais. A primeira deveria ser iniciada no TJ de São Paulo. Ela pediu que os técnicos do CNJ cruzassem os dados do Coaf com as declarações de renda que os magistrados e servidores são obrigados a entregar todos os anos aos seus respectivos tribunais.

Dinheiro

O Coaf detectou que do total de R$   173,6 milhões de movimentações feitas em espécie (depósitos ou saques em dinheiro) oito pessoas concentram 10% do total. São dois titulares de cartórios, três juízes, um desembargador, um aposentado e um empresário.

A corregedora-geral pediu que os técnicos do conselho aprofundassem as investigações porque boa parte das informações do Coaf foi considerada genérica. “As informações devem ser pormenorizadas, a fim de se verificar pontualmente as principais ocorrências, bem como seu enquadramento nos crimes previstos na Lei 9.613/98”, diz Calmon, em despacho assinado no início de dezembro, referindo-se a legislação que trata de lavagem de dinheiro.

“A simples movimentação financeira de altas somas, contudo, pode não caracterizar ilítico, já que os valores podem ser decorrentes do pagamento regular de créditos salariais ou mesmo de ingresso lícito de patrimônio, a exemplo de heranças e prêmios de loterias. Conclusão definitiva, contudo, depende da verificação da compatibilidade dos bens e rendas dos integrantes dos tribunais cujos integrantes registram maior número de comunicações com as respectivas variações patrimoniais”, ressalvou Calmon.

Mais pressão

Juízes pedem apuração do CNJ contra Eliana Calmon

Para imobilizar e constranger a corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, associações representativas de juízes se uniram numa estratégia de fazê-la “provar do próprio veneno”, como afirmaram nos bastidores. As entidades decidiram pedir que o próprio Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abra um procedimento para investigar a corregedora por suspeita de envolvimento em uma suposta quebra ilegal de sigilos de magistrados, servidores e parentes.

A estratégia foi anunciada logo após a entrevista concedida por Eliana Calmon, numa nota assinada pelos presidentes das Associações dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Nacional dos Magistrados Trabalhistas (Anamatra).

As entidades decidiram pedir ao presidente do STF e do CNJ, Cezar Peluso, a instauração de uma correição imediata na corregedoria para apurar a suposta quebra de sigilos que, de acordo com as associações, é inconstitucional e ilegal. As associações também anunciaram que vão requerer à Procuradoria-Geral da República a apuração da autoria e da materialidade de uma suposta prática de crimes de quebra de sigilo de dados.

Peluso defendeu na quarta-feira o ministro do STF Ricardo Lewandowski, autor da decisão que suspendeu as investigações da corregedoria. Ex-integrantes do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, Peluso e Lewandowski receberam verbas extras de até R$   700 mil da Justiça paulista relativas a auxílio moradia. Com os dois movimentos, no CNJ e no Ministério Público, as entidades, segundo apurou a reportagem, querem pôr a ministra na berlinda, carimbando-a como investigada no próprio órgão. Tal situação teria o condão, em um segundo momento, de afastá-la da corregedoria, neutralizando a voz mais forte contra o corporativismo dos juízes.

Agência Estado

Interatividade

Qual a sua opinião sobre a investigação do CNJ sobre magistrados?
Escreva para leitor@gazetadopovo.com.br

As cartas selecionadas serão publicadas na Coluna do Leitor

Comente esta matéria. Preencha o formulário: “Faça sua reclamação” aqui no site www.reclamando.com.br ou envie e-mail para: espírito_santo@uol.com.br

Gazeta do Povo – 23-12-2011

 

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Gazeta do Povo
Imprimir   enviar para um amigo
voltar  
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM: 30/07/2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM: 30/07/2017 -01- Nome Completo: ARNALDO BELOTA E-mail: acbelota@gmail.com Cidade: SAQUAREMA Estado: RJ Conheceu: pela internet Reclamação: Quando recebo
RECLAMAÇÃO DE MARIA SAJA CONTRA A OI
MARIA SAJA - saja_maria@yahoo.com.br rua bevenuto gussi, 301 83260-000 matinhos pr ‘’Reclamação contra a OI S.A. Tinha um plano da Oi com os seguintes serviços = 1.“Oi fixo – pacote de minutosfixo-fixo local Pacote de minutos longa distancia com 14
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 06 DE JULHO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 06 DE JULHO DE 2017 -01- Nome Completo: Eleni Soares Domingues E-mail: elenisoaresdomingues@gmail.com Cidade: Campos dos Goytacazes Estado: RJ Conheceu: Google
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 18 DE MAIO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 18 DE MAIO DE 2017 -01- Nome Completo: edivaldo silva rocha E-mail: edivaldo.rocha@bol.com.br Cidade: riacho de santana Estado: BA Conheceu: internet Reclamação:
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 07 DE MAIO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 07 DE MAIO DE 2017 -01- Nome Completo: NILVALDO E-mail: nilpeira@gmail.com Cidade: SALVADOR-BAHIA Estado: BA Conheceu: site Reclamação: Uma GANG comtendo crimes
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 07 DE MAIO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE FORAM PREJUDICADOS EM SEUS DIREITOS DE CONSUMIDORES– EM 07 DE MAIO DE 2017 -01- Nome Completo: NILVALDO E-mail: nilpeira@gmail.com Cidade: SALVADOR-BAHIA Estado: BA Conheceu: site Reclamação: Uma GANG comtendo crimes
RECLAMAÇÕES RESPONDIDAS EM 06 DE ABRIL DE 2017
RECLAMAÇÕES RESPONDIDAS EM 06 DE ABRIL DE 2017 -01- ASSUNTO: RECLAMAÇÃO VIA SITE RECLAMANDO DE FERNANDO FELIPE ALMEIDA DATA: 09.03.2017 23:28 DE: PARA: NOME COMPLETO: FERNANDO FELIPE ALME
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM 08 DE MARÇO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM 08 DE MARÇO DE 2017 -01- Nome Completo: marialuciadelimasoares E-mail: marialuciadelimasoares1@gmail.com Cidade: curitiba Estado: P
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM 13 DE FEVEREIRO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM 13 DE FEVEREIRO DE 2017 -01- Nome Completo: Maria Benedita Masquete E-mail: benemasquette@hotmail.com Cidade: Sabáudia Estado: PR Conheceu: Internet Recl
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM 03 DE FEVEREIRO DE 2017
RECLAMAÇÕES DE INTERNAUTAS QUE COMPRARAM PELA INTERNET E FORAM PREJUDICADOS – RESPONDIDAS EM 03 DE FEVEREIRO DE 2017 -01- Nome Completo: Fernanda E-mail: nandacavalcante.fisio@hotmail.com Cidade: sao bernardo do campo Estado: SP Conheceu: internet

Total de Resultados: 14179

Mostrando a página 1 de um total de 1418 páginas

12345678910PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover