Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


CARTAS
A desculpa esfarrapada de sempre dos defensores dos ''fichas-sujas'': ''Não houve condenação em definitivo''. E desde...
Investigação interpretada
HERMENÊUTICA é a arte-ciência da interpretação e compreensão de palavras e fatos. Seu exercício compõe tarefa difícil,...
veja mais

 
18/07/2012 - 14:41 - Bibinho é preso por atrapalhar o andamento de ação judicial

Gazeta do Povo - 07-03-2012

http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/diariossecretos/conteudo.phtml?tl=1&id=1230817&tit=Bibinho-e-preso-por-atrapalhar-o-andamento-de-acao-judicial

Antônio Costa/ Gazeta do Povo

Antônio Costa/ Gazeta do Povo / Bibinho (à frente) presta depoimento na sede do Gaeco, antes de ser levado ao Centro de Triagem de Piraquara: ex-diretor ocupa a mesma cela em que ficou o ex-deputado Carlos Simões Bibinho (à frente) presta depoimento na sede do Gaeco, antes de ser levado ao Centro de Triagem de Piraquara: ex-diretor ocupa a mesma cela em que ficou o ex-deputado Carlos Simões

Diários Secretos

Bibinho é preso por atrapalhar o andamento de ação judicial

MP argumenta que ele vem usando manobras jurídicas para adiar seu julgamento. Ex-diretor da Assembleia já esteve detido outras três vezes

O ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná Abib Miguel, o Bibinho, foi preso novamente ontem acusado, desta vez, de atrapalhar o andamento dos processos a que responde na Justiça. Bibinho é acusado pelo Ministério Público Estadual (MP) pelos crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e por desvio de dinheiro público da Assembleia. Segundo os promotores, o desvio pode chegar a R$   200 milhões. O esquema de corrupção foi revelado pela Gazeta do Povo e pela RPC TV em 2010 na série de reportagens Diários Secretos.

Segundo o MP, Bibinho tem tentado adiar ao máximo o julgamento das ações criminais por meio de recursos jurídicos. A juíza Ângela Regina Ramina de Lucca, da 9.ª Vara Criminal de Curitiba, acatou o pedido dos promotores. “A prisão do denunciado é absolutamente necessária para a conveniência da instrução processual, pois ficou sobejamente evidenciado que o réu Abib Miguel vem reiteradamente criando obstáculos ao regular o andamento do processo, por meio de medidas de caráter meramente protelatório, para prolongar indefinidamente ou evitar a conclusão do processo”, diz um trecho da decisão judicial.

Hugo Harada/Gazeta do Povo

Hugo Harada/Gazeta do Povo / “Receber visitas [no escritório] é um direito dele [Bibinho]. Ele está proibido disso?” <b>Eurolino Reis</b>, advogado de Abib Miguel, comentando sobre a acusação do MP de que o ex-diretor da Assembleia mantinha uma rotina normal no período em que alegava distúrbios psiquiátricos

“Receber visitas [no escritório] é um direito dele [Bibinho]. Ele está proibido disso?” Eurolino Reis, advogado de Abib Miguel, comentando sobre a acusação do MP de que o ex-diretor da Assembleia mantinha uma rotina normal no período em que alegava distúrbios psiquiátricos

Vídeos mostram que conselheiro do TC visitou ex-diretor

Abib Miguel é muito visitado no escritório que mantém em um edifício no Centro Cívico, em Curitiba. Imagens do sistema de segurança do prédio foram requisitadas pelo Ministério Público (MP) justamente para provar que Bibinho mantinha uma rotina normal, mesmo alegando estar com distúrbios psiquátricos.

Leia a matéria completa.

Entenda o caso

Relembre os principais momentos do escândalo dos Diários Secretos:

2010

15 de março – Série de reportagens da Gazeta do Povo e da RPC TV revela um esquema de desvio de dinheiro dos cofres da Assembleia Legislativa por meio da contratação de funcionários fantasmas e laranjas.

24 de abril – Operação do Ministério Público Estadual (MP) prende dez pessoas, entre elas os então diretores da Assembleia Abib Miguel, o Bibinho (diretor-geral); José Ary Nassiff (diretor administrativo); e Cláudio Marques da Silva (diretor de pessoal). Bibinho é acusado de chefiar a quadrilha.

3 de maio – MP propõe a primeira ação criminal contra os ex-diretores por formação de quadrilha, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos. No mesmo mês, o MP ajuiza nova ação criminal. Depois disso, os promotores propuseram mais seis ações de improbidade administrativa contra os ex-diretores e contra deputados que ocuparam a presidência e a primeira-secretaria da Assembleia.

11 de junho – Beneficiado por uma liminar do STF, Bibinho e os outros dois ex-diretores da Assembleia deixam a prisão.

26 de agosto – O Supremo Tribunal Federal (STF) volta atrás e anula decisão que colocou Bibinho, Nassiff e Marques da Silva em liberdade.

8 de novembro – Por se tratar de acusado preso, o trâmite judicial é acelerado. Começa o julgamento do primeiro processo criminal ajuizado contra Bibinho e os ex-diretores por causa da contratação de funcionários fantasmas e laranjas.

18 de dezembro – Bibinho deixa a prisão, beneficiado por uma decisão do Supremo.

2011

29 de agosto – Advogados de Bibinho ganham na Justiça a suspensão dos dois processos criminais contra Bibinho, alegando que seu cliente sofre de distúrbios psiquiátricos. A decisão judicial dá prazo de 45 dias para a elaboração de um laudo oficial sobre a saúde mental de Bibinho.

11 de novembro – Perícia médica feita pelo Instituto Médico Legal (IML) mostra que Bibinho apresenta quadro depressivo, mas que tem condições de comparecer às audiências e responder às acusações de desvio de dinheiro público, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

2012

6 de março – Bibinho é preso novamente. Desta vez, sob a acusação de atrapalhar o processo judicial.

O MP justificou a solicitação de prisão argumentando que Bibinho já pediu, por exemplo, o afastamento da juíza Ângela de Lucca do caso. Não conseguiu. O ex-diretor alegou ainda à Justiça estar sofrendo de distúrbios mentais e que, por isso, não poderia responder aos processos. Advogados dele apresentaram um laudo médico atestando que Bibinho sofria de “distúrbios psicopatológicos dentro das funções mentais”.

Diante dessa avaliação médica, a Justiça suspendeu temporariamente o julgamento de Bibinho – até que um laudo oficial, do Ins­­­tituto Médico Legal (IML), mostrou em novembro do ano passado que o ex-diretor tinha condições mentais de continuar sendo julgado. Contrário ao parecer, os advogados de Bibinho questionaram o laudo do IML e chegaram a pedir a suspensão do julgamento por mais seis meses – o que foi rejeitado.

Além disso, a defesa de Bibinho arrolou no processo 64 testemunhas – muitas moradoras de cidades distantes de Curitiba. Logo em seguida, desistiu dos depoimentos delas. No entendimento do MP, essa foi mais uma manobra protelatória.

Vídeos

No pedido de prisão, o MP anexou uma série de vídeos do circuito interno do prédio em que Bibinho tem um escritório, no Centro Cívico. As imagens, se­­­gundo o Ministério Público, re­­velam que Abib Miguel manteve uma rotina normal de trabalho ao mesmo tempo em que alegava insanidade mental para não responder ao processo. No escritório, ele recebia dezenas de pessoas – inclusive autoridades e outras pessoas envolvidas com o esquema de corrupção na Assembleia denunciado pelos promotores à Justiça.

Outros imagens a que o MP teve acesso ainda mostravam Bibinho viajando e frequentando restaurantes – o que comprovaria que ele não estava sem condições de responder à Justiça.

Prisão

Bibinho foi detido ontem ao sair de um restaurante no Centro Cívico, em Curitiba, pouco depois do meio-dia. Foi levado para a sede do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), no Ahú. Depois, foi encaminhado para o Centro de Triagem II, em Piraquara, na Grande Curitiba.

Diferentemente das outras três vezes que foi preso, em 2010, Bibinho não ficará detido no quartel da Polícia Militar – direito garantido aos advogados. Isso porque, segundo o MP, apesar de Bibinho ser advogado, uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) garante o benefício para os profissionais do Direito presos somente no exercício da profissão, o que não é o caso de Abib Miguel.

Bibinho está sozinho numa cela do Centro de Triagem, que tem hoje 1.426 presos. O local dispõe de água quente e energia elétrica. é a mesma cela onde ficou o ex-deputado estadual Carlos Simões – que esteve detido em janeiro deste ano por não ter sido encontrado por oficiais de Justiça para responder a um processo por desvio de dinheiro público.

Defesa


“A prisão dele é abusiva”, diz advogado de Abib Miguel

O advogado Eurolino Sechinel Reis – que defende Abib Miguel, o Bibinho – considerou “abusiva” a prisão do ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná. Reis deve entrar hoje com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) para reverter a prisão de Bibinho. O advogado afirmou que Abib Miguel só deve se manifestar sobre as acusações em juízo.

“Meu cliente não mudou de endereço e sempre esteve à disposição da Justiça. A prisão dele é abusiva”, disse o advogado ontem logo depois de se reunir com Bibinho, ainda na sede do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), um braço do Ministério Público, antes de ser levado para o Centro de Triagem II, em Piraquara. Reis afirmou que Bibinho estava indignado com os fundamentos da prisão.

O advogado disse ter contactado a Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná para garantir ao cliente a prisão em uma unidade militar e não na carceragem do Centro de Triagem, conforme prevê o regramento da OAB. “Meu cliente é advogado. Portanto, deveria ficar detido no quartel da Polícia Militar”, disse. “O direito dele, mais uma vez, foi violado.”

Sobre as imagens que mostram Bibinho se encontrando com diversas pessoas no período em que ele alegava distúrbios mentais, Eurolino Reis afirmou que as visitas “fazem bem para a recuperação dele” num quadro de debilidade mental. “Receber visitas é um direito dele. Ele está proibido disso?”, questionou. (KK)

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Gazeta do Povo
Imprimir   enviar para um amigo
voltar  
Audiência de custódia
Audiência de custódia João Baptista Herkenhoff Determinei há quatro décadas, através de portaria, que todo indivíduo preso, no território de minha comarca (Vila Velha, ES), fosse imediatamente trazido ao fórum. Mu
Uso de algemas e compartimento celular
No Direito Processual Penal brasileiro tem sido uma tendência a atribuição de nulidade absoluta a vícios que não afetam diretamente o elemento de prova.
Editorial: Não é pizza
Longe de ser caso isolado, essa foi a regra. Dentre os 37 réus, 25 foram considerados culpados por ao menos um crime. Treze já não podem apresentar nenhum recurso e terão suas punições executadas.
Dilma sanciona lei sobre investigação criminal
Ainda é destacado na legislação que o indiciamento é uma ação privativa do delegado de polícia e se dará por ato fundamentado, mediante análise técnico-jurídica do fato, que deverá indicar a autoria, materialidade e suas circunstâncias.
Novo presidente do STJ defende desmembramento de processos com muitos réus
Felix admitiu haver defasagem no Código Penal, especialmente no que diz respeito a crimes modernos, como os eletrônicos, os sexuais e a lavagem de dinheiro.
Defensoria Pública do Estado do Paraná / 2012
(A) Após o oferecimento do aditamento a defesa terá o prazo de 10 (dez) dias para se manifestar, podendo arrolar testemunhas, requerer diligências e proceder a novo interrogatório do réu.
Dilema carcerário
SÃO PAULO - Tem preso saindo pelo ladrão. Como mostrou Claudia Antunes no último domingo, a taxa de encarceramento no Brasil praticamente triplicou nos últimos 16 anos. Passamos de 95 presos para cada 100 mil habitantes em 1995 para 269. Dos países mais p
Julgamento - STF nega privilégio de foro a dois juízes aposentados
O Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou nesta quinta-feira (22) que, quando se aposentam, as autoridades perdem o direito ao foro privilegiado. No Brasil, as autoridades que ocupam cargo nos três Poderes, como o presidente da República, os parlamentare
Prisão preventiva adequada
A discussão acerca da legitimidade da prisão preventiva por conveniência da instrução criminal não existe. Garantindo o adequado desenvolvimento do processo, tutela a produção probatória, caracterizando-se como cautela instrumental. Também não conflita co
A maldição do foro
Poderia ter sido "foro de reserva", "foro único" ou "de instância única". Mas "foro privilegiado", além da ambiguidade, induz a equívoco quando invoca "preferência", "apadrinhamento" ou a uma "proteção" que, de fato, não existe.

Total de Resultados: 216

Mostrando a página 1 de um total de 22 páginas

12345678910PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover