Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Auditoria comprova caos no IML do Paraná
Veja a matéria completa no link:...
Aparelho de DVD da marca Samsung apresentou defeito
"Diante deste defeito, dei entrada na autorizada Megacenter Celulares em Marília (444 km de São Paulo) em 7 de...
veja mais

 
20/10/2014 - 03:43 - A favor da vida

A favor da vida

 

                                                    João Baptista Herkenhoff

 

Sou a favor da Vida. Contra a pena de morte e a guerra. A favor de políticas públicas que favoreçam o parto feliz e a maternidade protegida. Contra a falta de saneamento nos bairros pobres, causa de doenças e endemias que produzem a morte. Discordo da percepção limitada, embora possa ser honesta e sincera, dos que reduzem a defesa da vida à proibição do aborto quando, na verdade, a questão é muito mais ampla. Abomino a hipocrisia dos que sabem que a defesa da vida exige reformas estruturais, mas resumem o tema a um artigo de lei porque as reformas mexem com interesses estabelecidos e ofendem o deus dinheiro. Sou contra o pensamento dos que não admitem o aborto nem quando é praticado por médico para salvar a vida da mãe, mas aceitariam essa opção dolorosa se a parturiente fosse uma filha. Sou contra a opinião que obscurece as medidas sociais, pedagógicas, psicológicas, médicas que devem proteger o direito de nascer. Reprovo o posicionamente dos que lançam anátema contra a mulher estuprada que, no desespero, recorre ao aborto quando, na verdade, essa mulher deveria ser socorrida na sua dor. Se não tiver o heroísmo de dar à luz a criança gerada pela violência, seja compreendida e perdoada.

Hoje eu debato esta questão doutrinariamente mas, quando fui Juiz, eu me defrontei com o aborto em concreto. Lembro-me do caso de uma mocinha. Quase à morte foi levada para um hospital que a socorreu e comunicou depois o fato à Justiça. O Promotor, no cumprimento do seu dever, formulou denúncia que recebi. Designei interrogatório. Então, pela primeira vez, eu me defrontei com o rosto sofrido da mocinha. Aquele rosto me enterneceu mas não havia ainda nos autos elementos para uma decisão. Designei audiência e as testemunhas me informaram que a acusada tinha o costume de toda noite embalar um berço vazio como se no berço houvesse uma criança. No mesmo instante percebi o que estava ocorrendo. Nem sumário de defesa seria necessário. Disse a ela, chamando-a pelo nome:

“Madalena (nome fictício), você é muito jovem. Sua vida não acabou. Essa criança, que estava no seu ventre, não existe mais. Você pode conceber outra criança que alegre sua vida. Eu vou absolvê-la mas você vai prometer não mais embalar um berço vazio como se no berço estivesse a criança que permanece no seu coração. Eu nunca tive um caso igual o seu. Esse gesto de embalar o berço mostra que você tem uma alma linda, generosa, santa. Você está livre, vá em paz. Que Deus a abençoe.”

A decisão nestes termos, em nível de diálogo, foi dada naquele momento. Depois redigi a sentença no estilo jurídico, que exige técnica e argumentação.

 

João Baptista Herkenhoff, magistrado aposentado (ES), professor, escritor, palestrante. Autor, dentre outros livros, de: Direito e Utopia (Livraria do Advogado Editora, Porto Alegre).

E-mail: jbpherkenhoff@gmail.com

Site: www.palestrantededireito.com.br

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2197242784380520

 

É livre a divulgação deste artigo, por qualquer meio ou veículo, inclusive através da transmissão de pessoa para pessoa.

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  João Baptista Herkenhoff
Imprimir   enviar para um amigo
voltar  
Maioridade penal
Maioridade penal João Baptista Herkenhoff Discute-se neste momento a redução da maioridade penal. Se ocorrer a mudança constitucional que vai permitir o apenamento de menores, supõem os defen
Plenário do STF vai julgar subtração de um par de chinelos
Plenário do STF vai julgar subtração de um par de chinelos Salvar • 164 comentários • Imprimir • Reportar Publicado por Luiz Flávio Gomes - 1 dia atrás 138 A subtração de um par de chinelos (de R$   16 reais) vai monopolizar, em breve, a atenção dos onz
A lei penal é como a serpente, só pica os descalços
Seja de que natureza for, aqui na Terra manda a sensibilidade humana que a subtração de um par de chinelos de R$   16 reais deve ser arquivada prontamente, por meio de um habeas corpus de ofício. A matéria constitucional aqui existente
Justiça Federal condena 45 pessoas investigadas na Operação Curaçao
Justiça Federal condena 45 pessoas investigadas na Operação Curaçao Operação foi deflagrada em 2009 pela Polícia Federal, após investigações em conjunto com a polícia da Holanda. Condenações foram por crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro
As incertezas jurídicas da Lei Anticorrupção
especial As incertezas jurídicas da Lei Anticorrupção Norma não criou novas condutas ilícitas e maior mudança legal está na condenação de empresas independentemente de dolo ou culpa. Aplicação ainda gera dúvidas 06/06/2014 | 00:06 | Talita Boros V
Câmara dos Deputados aprova Lei da Palmada
Legislação Câmara dos Deputados aprova Lei da Palmada Lei seguirá para análise do Senado. Projeto prevê que pais que agredirem fisicamente filhos devem ser encaminhados a cursos e tratamento psicológico Xuxa faz coração com as mãos após ser critic
O linchamento dos linchadores
O linchamento dos linchadores Publicado em 04/06/2014 | Rodrigo Faucz Pereira e Silva O caso de Fabiane Maria de Jesus causou indignação em todo Brasil, chamando atenção para uma questão que merece uma maior reflexão por parte da sociedade: o ansei
Aborto: eufemismos, ambiguidades e incoerências
O passo seguinte foi a ambiguidade. No esforço por transformar o crime de aborto em direito, foram criados os “direitos sexuais e reprodutivos”. Nessa expressão ambígua pode incluir-se o direito de uma mulher a não ser estuprada
Crimes eleitorais sob a mira do MP
EDITORIAL Crimes eleitorais sob a mira do MP Decisão do Supremo Tribunal Federal garante que o Ministério Público possa iniciar processos investigativos contra crimes eleitorais sem autorização prévia da Justiça Publicado em 28/05/2014
O linchamento e nós
Editorial O linchamento e nós Crescem casos de violência coletiva, bruta e irracional, atualização urbana da Lei de Talião. O estado das coisas mostra que é hora de pensar no assunto E eis que o linchamento se tornou o assunto do noticiário. Algum

Total de Resultados: 1830

Mostrando a página 1 de um total de 183 páginas

12345678910PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover