Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Para leitora, calçadas de pedras portuguesas precisam de cuidado constante
As pedras portuguesas podem formar lindos mosaicos, do que eu não discordo.
MARCIA ISABEL SCHNEIDER NARRA SUA DESILUSÃO PARA COM O CURSO DE INGLÊS WISE UP
Para visualizar o texto completo clique no título da matéria
veja mais

 

12/04/2010 - Mais da metade dos negros pertencem à classe média

Levantamento da FGV mostra que nos últimos 15 anos houve significativa melhora na condição de vida dessa fatia da população
 
Rio de Janeiro - Mais da metade dos negros brasileiros, e pouco menos da metade dos mestiços (pardos), pertencem hoje à classe média, incluindo a classe C, a nova classe média popular. Segundo recente levantamento do economista Marcelo Neri, do Centro de Políticas Sociais (CPS), da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 53,5% dos negros, e 47,3% dos mestiços, no Brasil pertenciam às classes A, B e C em 2008. Entre negros e mestiços juntos, 48% são de classe média, e 52% estão nas classes D e E, mais características da pobreza.

Esses números, tirados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), mostram uma grande evolução nos últimos 15 anos. Em 1993, menos de um quarto dos negros (23,8%) e pouco mais de um quinto dos mestiços (21,7%) pertenciam às classes A, B e C. Tomados em conjunto, apenas 22% dos negros e mestiços estavam na classe média, com quase 80% nas classes D e E.

Os números de Neri revelam que, desde 1993, a proporção de negros e mestiços nas classes A, B e C cresceu cerca de 110%, enquanto a dos brancos expandiu-se em 42%. ''Há uma melhora diferenciada dos negros e pardos na classe ABC, já que a proporção deles aumentou mais do que a dos brancos'', observa Néri.

André Urani, sócio do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade (Iets), e diretor do Instituto Natura, tem dados que mostram que a proporção de negros e mestiços, nos últimos 15 anos, cresceu bem mais entre os mais ricos do que entre os mais pobres. Assim, houve um salto de 74%, de 1993 a 2008, na proporção de chefes de família negros e mestiços entre o 1% mais rico do Brasil, e hoje ela atinge 15%. Entre os 10% mais ricos, um em cada quatro chefes de família já é negro ou mestiço.

Tendência

Mesmo com o avanço de negros e mestiços, a sociedade brasileira ainda está muito longe de ser igualitária em grupos raciais. Os chefes de família negros e mestiços ainda correspondem a mais de 70% entre os pobres e indigentes, segundo a classificação de linhas de pobreza de Urani. Isso se compara, para os brancos e orientais, a apenas 27% entre os indigentes, e 30% entre os pobres.

Os dados de Urani e Neri mostram, porém, que, apesar de a situação ainda permanecer ruim, é inegável a tendência de redução da desigualdade de renda de base racial na última década e meia. Hoje, o País já possui uma grande classe média não branca, com 45 milhões de pessoas. Os dados da série da Pnad revelam que também houve, independentemente da renda, um expressivo aumento na proporção de negros e mestiços no total da população brasileira de 1993 a 2008, de 45% para 50,1% do total.

As possíveis explicações para essa mudança são uma maior disposição das pessoas se identificarem como não brancas (pretos e pardos, na terminologia oficial) nos questionários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e um avanço real demográfico de negros e mestiços relativamente aos brancos.

Fernando Dantas - Agência Estado

Folha de Londrina – 28-03-2010
 

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Folha de Londrina
Imprimir   enviar para um amigo
Empresa indeniza pedestre que caiu em buraco de rua
A Copasa, Companhia de Saneamento de Minas Gerais, foi condenada a indenizar Jurema Aurélio Evaristo em R$   5 mil por danos morais e R$   13 por danos morais. Jurema caiu em um buraco aberto na rua pela empresa.
McDonald’s deve indenizar por furto no estacionamento
A loja do McDonald’s da Superquadra 405 na Asa Sul, em Brasília, terá de pagar indenização de R$   1,35 mil a uma cliente que teve o carro arrombado e o aparelho de som furtado no estacionamento
Carrefour é condenado por furto em estacionamento
O supermercado é responsável por furto de carro em seu estacionamento.
Banco é condenado por não conferir assinatura em cheque
Instituição financeira que encaminha cheque à compensação, sem checar assinatura.
É mais fácil levantar um prédio que julgar uma ação”
“Em três anos, nós não terminamos um processo, mas levantar um prédio nós conseguimos.” A frase do novo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Celso Limongi
Parlamentares recebem R$   443,00 por dia sem trabalhar
Pouca vergonha. Excrecência. Mordomia.
Reclamação contra a Vivo
Bom dia Estou tendo alguns problemas com meu aparelho celular, gostaria de tirar algumas dúvidas. No dia 27/07/2005 recebi da minha operadora VIVO um aparelho novo, Nokia 6255...

Total de Resultados: 12177

Mostrando a página 1218 de um total de 1218 páginas

InícioAnterior1209121012111212121312141215121612171218

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover