Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


TV Marca LG modelo LCD 55SL80YD apresenta defeito em menos de um mês de uso diz Renato Santos Souza
Saiba mais,clicando no título da matéria.
Deputados usam verba da Câmara em "festa de Natal"
O deputado gaúcho Paulo Roberto Pereira (PTB) passou o Natal de 2008 em um dos principais pontos turísticos do...
veja mais

 

27/08/2009 - Sujeito de direito virtual

Maria Francisca Carneiro

O sujeito de direito virtual ou cibersujeito descortina um novo momento da história do Direito e da Ontologia. O surgimento histórico do sujeito de direitos é relativamente recente, pois remonta ao advento da burguesia.

Antes disso, o indivíduo não era bem delineado pelos aparatos jurídicos e, quando passou a ser, obedecia à fragmentação do pensamento cartesiano: era um sujeito retalhado, dividido em conformidade com o seu patrimônio material.

No Brasil, somente com a Constituição de 1988 é que o sujeito de direito tem a intimidade tutelada em lei, como bem jurídico fundamental. Portanto, o que se viu na história, foi uma ampliação do conceito de sujeito de direito, que se deu pouco a pouco, e que culmina com a idéia de cibersujeito.

Por outro lado, podemos considerar que o sujeito de direito virtual é um interlúdio entre a Ontologia e a Metafísica, pois enseja um novo estudo do ser. Tradicionalmente, a Ontologia faz a distinção entre essência e existência.

Os entes que possuem essência ou substância são chamados "seres"; enquanto que os entes sem essência possuem apenas existência. Nós, humanos, somos dotados de essência e existência, ao mesmo tempo.

Figuras mitológicas ou lendárias (como por exemplo, Branca de Neve, Papai-Noel, etc) possuem apenas existência, mas não têm essência. A essência pura, para os religiosos, é Deus.

Nesse contexto, pergunta-se: qual é a Ontologia do cibersujeito? Possui ele essência e existência? Ou se trata de uma mera entidade mental, de um sujeito de direito sem essência?

Analisemos a questão, lembrando que, antes de tudo, o cibersujeito é um sujeito de direito. Este não tem apenas direito ao nome, mas dever ao nome. Eis aí uma questão que diz respeito à identidade.

Para o direito autoral, o anonimato é proibido, pois fere a liberdade de expressão e pode causar danos morais. Já o presudônimo é permitido, desde que haja possibilidade de identificação e desde que seu objetivo seja tutelar a intimidade do autor.

No caso do cibersujeito, há o problema do anonimato como modo de preservar a identidade, vale dizer, o sujeito não deve expor os seus dados pessoais como modo de proteger a sua intimidade na web.

Há também a questão da individualidade tradicional do sujeito do direito, que é uno, singular; é uma só pessoa. O cibersujeito, por outro lado, pode expressar-se através de duas ou mais identidades, bastando, para tanto, cadastrar tantos endereços eletrônicos quantos queira, ou tendo tantos avatares quantos quiser na second life.

O sujeito de direito tradicional ocupa apenas um lugar no espaço, enquanto que o cibersujeito pode ocupar dois, três ou mais lugares no espaço; ou ainda nenhum espaço. Aqui está a relação entre ente e espaço, que também é da esfera da Ontologia.

Resta o problema da subjetividade, que compõe o conceito jurídico de sujeito de direito. A subjetividade, para vários autores, tem a psicanálise como via de acesso.

Ora, não há como psicanalisar o cibersujeito ou modelizar a sua personalidade, que não é imediata. Seria ele um sujeito de direito sem subjetividade? Por essas razões, ao contemplar o sujeito de direito virtual deparamo-nos com um novo capítulo na história do sujeito de direitos.

O cibersujeito apresenta bifurcações e antinomias, que tanto podem ser geradas pelo excesso de tecnologia, como pela sua carência. Se considerarmos o ciberespaço como um ambiente democrático, aí teremos a prevalência dos interesses sociais sobre os individuais e então o sujeito de direito virtual será antes de mais nada um ente plural, coletivo, bastante diferente do indivíduo; mas não parece ser essa a tendência dos estudos sobre a matéria.

A temática do cibersujeito pode ser entendida de duas maneiras: retrospectiva, voltando-se para a construção passada e histórica do sujeito de direito; e prospectiva, na medida em que aponta para um futuro sujeito de direito, em permanente construção.

Maria Francisca Carneiro é doutora em Direito pela UFPR, pós-doutora em Filosofia pela Universidade de Lisboa, membro da Italian Society for Law and Literature (ISLL). mfrancis@netpar.com.br

O Estado do Paraná – 23-08-2009

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  O Estado do Paraná
Imprimir   enviar para um amigo
Pichadores cumprem prestação de serviço e limpam fachadas no São Francisco
De acordo com a Prefeitura, outras ações de despiche estão marcadas para os três finais de semana de março.
CCJ rejeita redução da maioridade penal e senadores sugerem mudanças no ECA
Além de Taques, expressaram apoio e voto favorável à PEC 33/2012 os senadores Magno Malta (PR-ES) e Eunício Oliveira (PMDB-CE). Malta chegou a apresentar, em 2003, PEC para impor essa responsabilização penal a adolescentes a partir dos 13 anos.
Joaquim Barbosa determina prisão de Roberto Jefferson
O presidente licenciado do PTB e ex-deputado federal deverá cumprir a condenação em um presídio do Rio de Janeiro
Carli Filho enfrentará júri popular
Para você, qual a punição adequada para motoristas alcoolizados ou imprudentes que se envolveram em acidentes de trânsito com morte? Deixe seu comentário abaixo e participe do debate.
Senado derruba proposta de redução da maioridade penal
PEC que previa a redução penal de 18 para 16 anos no caso de crimes específicos, como tortura, tráfico e terrorismo, foi rejeitada na CCJ
Élvis de Souza é condenado a 21 anos de prisão pelo assassinato de Louise Maeda
Réu do assassinato da ex-funcionária de uma iogurteria de Curitiba, em 2011, foi condenado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver
Lei anticorrupção traz nova era de responsabilidades a empresários
Nova legislação dá um tratamento mais rígido aos atos ilícitos cometidos na iniciativa privada e prevê até dissolução de empresas
Donadon cassado
Tudo indica que a reversão do vergonhoso resultado de agosto não tenha relação com uma suposta melhora do padrão ético de parte da Câmara, mas com o caráter aberto da votação de quarta-feira
Barbosa suspende decisão de Lewandowski sobre pedido de Dirceu
A relação entre Barbosa e Lewandowski se deteriorou durante o julgamento do mensalão. Nas sessões, Barbosa acusou o colega de fazer chicanas e até de advogar para os réus do processo. Em um dos episódios, fora do plenário, os dois tiveram de ser separados
Câmara vota hoje pedido de cassação de Natan Donadon
Pela primeira vez, os deputados decidirão sobre a perda de mandato de um parlamentar por meio do voto aberto. A Câmara rejeitou pedido do deputado

Total de Resultados: 1830

Mostrando a página 7 de um total de 183 páginas

InícioAnterior12345678910111213141516PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover