Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Ouvi muito "não" até conseguir matricular meu filho, conta mãe de menino autista
Veja a matéria completa no link:...
Negar crédito a pessoa que não tenha restrições do SPC-SERASA gera indenização
Para visualizar o texto completo clique no título da matéria.
veja mais

 

29/04/2008 - Curitiba terá hospital cardiológico de última geração

Com 300 leitos, 90% deles para usuários do SUS, o hospital terá recursos da Fundação Takushukai, do Japão

Theo Marques
 
O cardiologista Randas Batista: ‘‘Minha meta é oferecer medicina de ponta para os mais pobres’’
Curitiba- Um templo japonês cercado de cerejeiras. É essa a visão do médico cardiologista Randas Batista para o que pode vir a ser o principal centro de cardiologia do Brasil. Serão 300 leitos, 90% deles destinados a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Os equipamentos serão de última geração e permitirão, entre outras coisas, a realização de um cateterismo em meio segundo. Mas o principal recurso do empreendimento são os profissionais por trás do projeto. ''Um hospital se faz de neurônios'', defende Batista.

Ao telefone, Batista apressa o arquiteto que vai acompanhar a obra. Ele tem pressa. Está há quatro meses sem operar. Em Curitiba, deixou o hospital em que trabalhava por não concordar com a administração da instituição. Agora só atua na sala de cirurgia quando sai do País. ''Todas as minhas energias estão concentradas nesse projeto'', desabafa.

A idéia já tem endereço. Será implantada num terreno, nos fundos do Aeroporto Bacacheri, próximo a antiga BR-116, e ao Hospital Vita. A propriedade foi doada a Randas pela Fundação Eunice Winter. Boa parte da flora será mantida e ganhará a companhia de cerejeiras, árvore típica do Japão.

O sonho de Randas irá custar, só na primeira fase, que terá 100 leitos, US$   10 milhões. O valor será inteiramente pago pela Fundação Takushukai, do Japão. A meta é inaugurar o hospital ainda este ano, aproveitando as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa para o Brasil. No entanto, apesar de não ter paredes, o projeto já possui um equipamento único em todo o país: um ecocardiografo 4D. O aparelho é parte de uma pesquisa da Universidade de Harvard e a Philips e foi entregue a Randas para ser utilizado no aprimoramento das técnicas cirúrgicas desenvolvidas por ele.

Outro equipamento, um tomógrafo de 320 cortes, deve chegar em Curitiba antes do fim do ano. Será o único da América Latina. Só há outro aparelho igual a esse no Hospital John Hopkins, nos EUA. ''Os tomógrafos existentes no Brasil já são de ponta. Geram 64 cortes. Esse é quase perfeito e produz modelos em 3D dos órgãos de forma instantânea'', comemora. Com essa tecnologia é possível realizar, por exemplo, uma endoscopia sem a necessidade de introduzir uma câmera pela boca do paciente.

O setor de radiologia também terá equipamentos de ponta. ''Tudo será digital. O paciente faz o exame e a imagem vai direto para o computador'', descreve. Esse tipo de tecnologia permite que o médico faça exames durante a cirurgia e tenha acesso aos resultados diretamente no centro cirúrgico, através de computadores. ''É tudo muito rápido, e com definição melhor que os equipamentos existentes'', diz.

O hospital servirá de centro irradiador das técnicas cirúrgicas criadas por Randas. O cirurgião possui oito procedimentos originais desenvolvidos por ele. A mais famoso é a chamada Operação Batista, uma técnica na qual é removida uma parte do ventrículo num coração hipertrofiado. A cirurgia reduz a mortalidade em pacientes que estão na fila do transplante do coração. Segundo Randas, o hospital estará de portas abertas para instituições de ensino. ''Vamos investir em pesquisa e no treinamento de jovens profissionais desde a faculdade'', adianta.

Todo o atendimento vai ter como público-alvo os usuários do SUS. ''Minha meta é oferecer medicina de ponta para os mais pobres'', revela. Enquanto hospitais e médicos do sistema público reclamam dos valores pagos pelo governo para o atendimento médico, Randas acredita que vai conseguir ter um superávit suficiente no hospital para garantir o investimento na ampliação. ''O que o SUS paga não é muito, mas é só saber gerenciar, negociar preços, administrar custos'', diz.

Os pacientes particulares e clientes de convênios também serão aceitos no hospital. ''Acho que toda inovação tem que estar acessível a todos'', defende. O médico adianta que deixará equipamentos e recursos do hospital disponíveis, inclusive para outros médicos e instituições de saúde.

Para provar que conseguirá manter o hospital no azul, Randas conta que, quando gerenciou o Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, tinha em mãos um orçamento mensal de R$   800 mil. ''Conseguimos manter o atendimento gastando só R$   600 mil'', diz. O segredo, explica, está na negociação com laboratórios. ''A gente negocia para pagar R$   0,80 por um remédio que custa R$   1. O problema é que tem gente que paga R$   1,50 pelo mesmo medicamento'', acusa.
Rosiane Correia de Freitas
Equipe Folha

Folha de Londrina – 28.04.2008

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Folha de Londrina
Imprimir   enviar para um amigo
Dilma Rousseff escolhe Luis Roberto Barroso para vaga de ministro do STF.
Agora, o nome de Barroso será submetido ao Senado, onde será sabatinado e deve ter o nome aprovado pelos senadores.
Herdeiros brigam na Justiça por fazenda deixada por Médici
As mesmas acusações de seu "tio-irmão" fizeram com que Cláudia fosse alvo de outra ação, esta movida pela União, que a acusava de ter utilizado a adoção como forma de fraudar a lei previdenciária para receber a pensão do avô.
Doação de bens, mas com garantias
Mas os especialistas revelam que a aposentada não deve abandonar o imóvel. “O usufrutuário não pode ser coagido pelo nu-proprietário (aquele que recebe o bem).
Usuária deve ser indenizada em R$   15 mil por ofensas em rede social
O Tribunal de Justiça de São Paulo manteve indenização de R$   15 mil por danos morais a uma usuária do Orkut por conta de comentários ofensivos que recebeu de uma mulher na rede social.
Recurso prolonga briga entre Paraná e União pela Vila Capanema
O advogado Marcio Augusto Nóbrega Pereira, então recém formado, começou a defender o Colorado em 1981.
Morte de cão gera condenação à Prefeitura de Araraquara (SP)
O cão fugiu de casa em março do ano passado e foi recolhido pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) em seguida. Doze dias depois, Gabriel foi sacrificado.
Vigilante chamado de "negão" será indenizado no Paraná
Ao recorrer ao TST, o vigilante insistiu que somente ele tinha apelido na empresa, e que este era fundado em sua condição racial.
Papa Francisco fala sobre perdão no primeiro Angelus de seu pontificado
Veja a matéria completa no link: http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/sucessao-do-papa/conteudo.phtml?id=1354422&tit=Papa-Francisco-fala-sobre-perdao-no-primeiro-Angelus-de-seu-pontificado
Ísis Valverde vence ação contra a "Playboy" por fotos não autorizadas
Veja a matéria completa no link: http://f5.folha.uol.com.br/celebridades/1247644-isis-valverde-vence-acao-contra-a-playboy-por-fotos-nao-autorizadas.shtml
Justiça nega indenização por término de namoro
PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA, CLIQUE NO TÍTULO

Total de Resultados: 873

Mostrando a página 5 de um total de 88 páginas

InícioAnterior1234567891011121314PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover