Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


A IMPUNIDADE IMPERA A FAVOR DOS SITES E LOJAS QUE INFRIGEM O CÓDIGO DE FESA DO CONSUMIDOR
Para visualizar o conteúdo desta matéria clique no título da mesma.
Enterro de luxo
Como se já não bastasse o episódio dos cartões corporativos (que acredito estar sendo ''abafado'' com o caso Isabella),...
veja mais

 

14/05/2010 - CONTARDO CALLIGARIS - Adoção por casais homossexuais



Condição básica de uma boa educação: o pai não pode querer que o filho seja um clone seu

NA SEMANA retrasada, por unanimidade, o Superior Tribunal de Justiça reconheceu que casais homossexuais têm o direito de adotar.

Claro, duas mulheres ou dois homens já podiam criar juntos uma criança adotada por um dos membros do casal. Agora, eles poderão compartilhar legalmente a responsabilidade da adoção.

O ministro João Otávio de Noronha declarou que a decisão do tribunal foi guiada pelo princípio de atender ao interesse do menor. No debate a favor ou contra a adoção de crianças por casais homossexuais, todos afirmam, aliás, opinar e agir no interesse dos menores.

A primeira questão nesse debate, portanto, é a seguinte: crianças criadas e educadas por um casal homossexual (feminino ou masculino) sofrem de dificuldades específicas?

Seu desenvolvimento afetivo, intelectual e sexual é diferente do das crianças de casais heterossexuais?

Como disse, faz décadas que, mundo afora, casais homossexuais já criam filhos, naturais e adotivos. E faz décadas que psicólogos, médicos e assistentes sociais pesquisam esses casais e seus rebentos.

O resultado é inequívoco e aparece num documento de 2007, endereçado à Corte Suprema da Califórnia pela American Psychological Association, a American Psychiatric Association e a National Association of Social Workers, ou seja, pelas três grandes associações dos profissionais da saúde mental dos Estados Unidos (psicólogos, psiquiatras e assistentes sociais).

Esse texto, de 72 páginas, apresentando uma ampla bibliografia de pesquisas, afirma que "homens gay e lésbicas formam relações estáveis e com compromisso recíproco, que são essencialmente equivalentes a relações heterossexuais" (III, A), e que "não existe base científica para concluir que pais homossexuais sejam, em qualquer medida, menos preparados ou capazes do que pais heterossexuais ou que as crianças de pais homossexuais sejam, em qualquer medida, menos psicologicamente saudáveis ou menos bem adaptadas" (IV, B).

Ora, tramitam na Câmara dos Deputados dois projetos contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça, um do deputado evangélico Zequinha Marinho (PSC-PA) e outro do deputado Olavo Calheiros (PMDB-AL). Visto que não dá mais para dizer que pais homossexuais sejam nocivos para suas crianças, os projetos se preocupam com o constrangimento das crianças diante dos colegas. Na escola, vão zombar de filho de homossexual. Para evitar esse vexame, melhor proibir a adoção por casais homossexuais.

Pois é, na mesma escola, também vão zombar de negros e de pobres.

Vamos impedir negro e pobre de ter filhos? O cômico é que, no Brasil, o filho de homossexual pode ser objeto de zombaria, mas essa zombaria não se compara com o que pode acontecer com filho de deputado.

Esperando que a reputação da classe política melhore e sentindo sinceramente pelos deputados honestos, no espírito dos projetos Marinho e Calheiros, acho bom proibir também a adoção de crianças por deputados federais e estaduais.

Brincadeira à parte, na nossa cultura, a condição básica de uma educação que não seja demasiado danosa é: os pais não devem querer que os filhos sejam seus clones.

Quando desejamos que nossos filhos sejam a cópia da gente, é para encarregá-los de compensar nossas frustrações: quero um filho igual a mim para que tenha o sucesso que eu não tive ou para que viva segundo regras que eu proclamo, mas nunca consegui observar. Pois bem, para criar e educar no interesse dos menores, é necessário fazer o luto dessas esperanças, que tornam as crianças escravas de nossos devaneios narcisistas.

Agora, a percentagem de homossexuais entre os filhos de casais homossexuais é igual à da média da população, se não menor. Ou seja, aparentemente, os homossexuais não têm a ambição de ver seus filhos se engajar na mesma "preferência" sexual que lhes coube na vida.

Em compensação, quem gosta mesmo de filho-clone são todos os fundamentalistas. É quase uma definição, aliás: fundamentalista é quem quer filhos tão fundamentalistas quanto ele.

Uma conclusão coerente seria: o interesse das crianças permite que elas sejam adotadas (e, portanto, criadas e educadas) por pais homossexuais e pede que a adoção seja proibida aos pais fundamentalistas evangélicos, por exemplo.

Serviço. Para ler o documento de 2007, acesse tinyurl.com/docpsi

ccalligari@uol.com.br

Folha de São Paulo – 13-05-2010
 

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Folha de São Paulo
Imprimir   enviar para um amigo
Será hora de atualizar?
Há, por outro lado, quem defenda que o novo Código Civil apenas levou o tempo certo para amadurecer.
O velho “novo Código Civil” dez anos depois
Em 2002, chegaram a haver sugestões para que o Código Civil incluísse artigos sobre clonagem humana, assunto em voga especialmente devido a uma novela que estava sendo veiculada na época e que abordava o tema.
Morte digna
Que os brasileiros debatam esse princípio como legítimo, os legisladores encampem a sua formalização e os juízes confirmem que, apesar dos pesares, o Brasil avança para um futuro melhor -e mais digno.
Empresa indeniza ex-empregada obesa que era alvo de piadas no interior de São Paulo
Veja a matéria completa no link: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/09/04/empresa-indeniza-ex-empregada-obesa-que-era-alvo-de-piadas-no-interior-de-sao-paulo.htm
Prefeitura de Maringá é condenada a pagar R$   29 mil por queda de árvore em veículo
O município de Maringá foi condenado a pagar R$   29 mil ao proprietário de uma caminhonete S-10 porque uma árvore caiu em cima do veiculo, que estacionado em uma via pública, em 5 de abril de 2009.
Justiça proíbe Renascer de reconstruir templo que desabou em SP
A Igreja Renascer disse que ainda não foi notificada oficialmente da decisão e, por isso, não vai comentar o caso.
Carne fica mais escassa e terá novos reajustes
“A saída para o pecuarista que dispõe de espaço é deixar o boi no pasto. Vai demorar mais tempo para engordar, mas o custo tende a ser menor”, afirma o zootecnista Paulo Rossi, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
TJPR anula sentença proferida na ação de despejo em cuja audiência de conciliação o pai do autor se fez passar por este
O relator do recurso de apelação, desembargador Augusto Lopes Côrtes, consignou em seu voto:
Ex-comandante do Bope perde no STF ação contra diretor de "Tropa de Elite"
O sequestro do ônibus da linha 174, atual 158, foi um dos mais traumáticos episódios de violência do Rio. O coletivo ficou retido no bairro do Jardim Botânico por mais de cinco horas.
Desktop, notebook, netbook: saiba qual o computador ideal ao seu perfil
PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA, CLIQUE NO TÍTULO

Total de Resultados: 873

Mostrando a página 10 de um total de 88 páginas

InícioAnterior12345678910111213141516171819PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover