Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Coluna do Leitor - Opinião de Leitores da Gazeta do Povo - 26/03/2011
Infelizmente o atual sistema de avaliação de benefícios do INSS está totalmente falido, aliás, como a própria...
Reclamação contra a tam – 31.01.2010
Fiz a compra de uma passagem aérea pela TAM no dia 22 de Junho de 2009 no valor de 3.036,64 com data marcada para 22 de...
veja mais

 

02/08/2012 - Editorial: Idade da razão

Editorial: Idade da razão

Com boa vontade, é possível notar um amadurecimento do debate em torno da reforma do regime brasileiro de Previdência Social.

Ao menos a administração petista dá sinais de que parece superar a longa fase de negação do problema e está mais perto de formatar uma agenda para enfrentar a deterioração das contas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Não estão em pauta medidas juridicamente controversas nem de impacto sobre o Orçamento no curto prazo, mas decisões a serem tomadas logo para atenuar, no futuro, a expansão da despesa com a Previdência. Hoje, ela já é da ordem de 10% do PIB (incluindo o setor público), comparável à de países mais ricos e com mais idosos.

No caso dos atuais segurados, o fundamental para equilibrar as contas é desencorajar as aposentadorias precoces admitidas pela legislação. A alternativa à mão é a fórmula batizada de 85/95, em que os números se referem à soma da idade com o tempo de contribuição a ser exigida, respectivamente, de mulheres e homens.

A regra, fácil de entender, substituiria o fator previdenciário. Este mecanismo, mais complexo e impopular, foi introduzido na década de 1990 para reduzir o valor do benefício dos que se aposentam mais cedo --e se tornou alvo de crescente ofensiva política.

Especialistas apontam que a fórmula 85/95 tende a ser mais permissiva e propensa a deficit que o fator previdenciário. Mas o inconveniente pode ser contornado com o ajuste das idades de referência.

Além disso, caberia impor aos futuros participantes do mercado de trabalho, por exemplo, uma idade mínima para a aposentadoria, como nos regimes previdenciários da maioria dos países. Trabalha-se com 60 anos para mulheres e 65 para homens, números que serão objeto de negociação no Congresso. Atualmente, há quem se aposente antes dos 50, com base no tempo de contribuição (30 e 35 anos, respectivamente, para obter o benefício integral).

Outro item da agenda, disciplinar as pensões por morte, reúne melhores condições para engendrar uma ação mais imediata, talvez, dadas a dimensão e a obviedade das anomalias por corrigir.

Viúvos e órfãos custaram R$   100 bilhões ao erário no ano passado (cerca de 20% do gasto previdenciário total), dos quais R$   60 bilhões na carteira do INSS e o restante no regime dos servidores públicos.

Trata-se de um desembolso dos mais liberais no mundo, resultado de uma legislação extravagante. Não leva em conta, por exemplo, o período de contribuição pelo segurado, a idade do beneficiário ou sua capacidade de sustentar-se.

É improvável que o tema seja tratado em período eleitoral. Um Congresso responsável, porém, não postergaria sua contribuição para equacionar ameaça tão grave.

Folha de São Paulo - 02-08-2012

http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/1130074-editorial-idade-da-razao.shtml

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Folha de São Paulo
Imprimir   enviar para um amigo
Velhos, saudáveis e com muito conforto
Na palestra "Longevidade e Finanças Pessoais", na Expomoney, ele insiste que cada um precisa cuidar de seu futuro, perguntando-se o que está fazendo para garantir os principais desejos da maturidade – uma boa aposentadoria com boa saúde e conforto materia
Crescem os pedidos de benefícios parados nos postos do INSS
Patrícia dos Anjos, 26, pediu foi a um posto previdenciário em 1º de agosto de 2011 solicitar a licença-maternidade, concedida por quatro meses a mulheres que têm filho.
Revisões previdenciárias e a jurisprudência
O grande tema da advocacia previdenciária desde sempre é o das revisões de benefícios previdenciários indeferidos ou deferidos de forma irregular pela autarquia previdenciária. E, felizmente, durante muito tempo o cidadão podia socorrer-se do Judiciário p
Mudança previdente
A Câmara dos Deputados concluiu, enfim, a arrastada votação do projeto de lei 1992/07, que cria a previdência complementar para os servidores civis da União e estabelece teto equivalente ao da aposentadoria do INSS para os admitidos após o novo modelo.
Congresso Nacional promulga EC que garante proventos integrais aos servidores aposentados por invalidez‏
PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA, CLIQUE NO TÍTULO
Quando menos é mais
Para outros, um horror, causado pela perda da rotina do trabalho, da utilidade social, do poder. Uma chatice, que se resume a um par de chinelos, um pijama e nada para fazer.
Governo e centrais discutem reajustes e fim do fator previdenciário
Representantes de centrais sindicais vão se reunir nesta quarta-feira (14) com a presidente Dilma Rousseff e com o secretário-geral da presidência, Gilberto Carvalho, em Brasília, para discutir a pauta trabalhista.
Congresso - Nova previdência do servidor é aprovada
Plenário da Câmara dos Deputados: nova previdência é aposta do Planalto para conter rombo de R$   56 bilhões Deputados federais limitam o teto da aposentadoria do funcionalismo ao valor pago pelo INSS. Quem quiser receber mais terá de contribuir com um f
Auxíliodoença a drogados já preocupa a Previdência
O afastamento pelo uso de drogas proibidas, como crack, cocaína, anfetaminas e maconha chega a ser oito vezes maior do que pelo consumo de álcool e cigarro. Os dados foram levantados pelo Ministério da Previdência a pedido da Folha.
Aposentadoria - INSS do PR é o que mais demora para conceder benefícios sociais
As agências do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) no Paraná são as que mais demoram no país para analisar os pedidos de aposentadoria, auxílio-doença e auxílio-maternidade, entre outros. Segundo dados do último Boletim Estatístico da Previdênc

Total de Resultados: 353

Mostrando a página 7 de um total de 36 páginas

InícioAnterior12345678910111213141516PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover