Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Gradiente Celular
Comprei um celular da gradiente GF 500 e fui informado na loja que o aparelho teria a função moldura. Cheguei em casa e...
Editorial: Santa falha
Também a polícia mostra-se despreparada. Repetiram-se no Rio os confrontos, verificados desde os protestos de junho,...
veja mais

 

14/08/2009 - Reajuste real de aposentadoria vale só para 2010

Governo descarta manter o aumento real dos benefícios do INSS, que pretende conceder no ano que vem, como política de médio prazo

 

Paulo Bernardo, ministro do Planejamento

 

Caroline Olinda, com Agencia O Globo

 

O reajuste real que o governo federal pretende conceder aos aposentados e pensionistas do INSS que recebem acima de um salário mínimo não será uma política de longo prazo de valorização dos benefícios. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, ontem confirmou que o governo pretende reajustar as aposentadorias acima da inflação no ano que vem. Mas disse que isso não deve se estender para outros anos. Segundo ele, o caixa do governo não teria condições de manter aumentos reais para os aposentados por um longo período.

“O que está sendo discutido é apenas um reajuste para o ano que vem. Do ponto de vista das finanças, algo além disso não seria possível”, afirmou Paulo Bernardo. Atualmente, o aumento do beneficio de quem recebe acima do mínimo te seguido apenas a variação do Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), calculado pelo IBGE. Já os aposentados e os trabalhadores que ganham um salário mínimo tem tido aumentos reais, acima dos índices inflacionários (veja gráfico).

Acalmar ânimos

A concessão do aumento real em 2010 para todos os aposentados e pensionistas seria uma forma de o governo acalmar os ânimos no ano de eleição. O beneficio atingiria mais de 8 milhões de pessoas que recebem acima do piso. Além disso, o reajuste seria concedido em troca do engavetamento de outras propostas que tramitam na Câmara dos Deputados relacionados as aposentadorias (veja quadro ao lado), que desagradam o Executivo.

O diretor da comunicação da Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas (Cobap), Antonio Graff, disse que o grupo estaria disposto a abrir mão da emenda ao Projeto de Lei (PL) 01/2007 – que estabelece a mesma política do mínimo a todos os aposentados do INSS. Eles também aceitariam suspender no ano que vem as negociações do PL 4.434 – que determina uma recuperação do poder de compra das aposentadorias. Para isso, no entanto, a Cobap vai insistir para que a proposta de reajuste real para as aposentadorias contemple os dois próximos anos e não apenas 2010.

“Vamos sugerir suspender as negociações do PL 4,434, desde que o governo se comprometa a conceder reajustes reais em 2010 e 2011”, disse Graff. “Em relação a emenda ao PL 01/2007, estaríamos dispostos a abrir mão tendo em vista as perspectivas de não era aprovado na Câmara e, se aprovado, o presidente vetar”, completou.

Sobre o fim do fator previdenciário, outra proposta em tramitação no Legislativo, a tendência é que os aposentados aceitem o projeto do deputado Pepe Vargas (PT-RS), que estabelece o calculo 85/95 (veja quadro ao lado como funcionaria o calculo, que substituiria o fator previdenciário). “Nos queremos uma nova regra. O fator previdenciário não pode ficar”, disse o presidente do sindicato Nacional dos Aposentados, João Batista Inocentini, ligado a Força Sindical.

O senador Paulo Paim (PT-RS), autor dos projetos que o governo tenta engavetar no Congresso, defende que seja mantido o fim do fator previdenciário, mas admite uma negociação futura do projeto que reajusta todas as aposentadorias pelo mesmo índice do salário mínimo. “Se as centrais sindicais, governo e a confederação dos aposentados entrarem num acordo que seja bom para os aposentados, será um avanço. Caso não chegue, vamos votar os projetos”, afirmou Paim.

Gazeta do Povo – 11-08-2009      

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Gazeta do Povo
Imprimir   enviar para um amigo
PENSÃO POR MORTE SERÁ RATEADA ENTRE A MULHERES DO BENEFICIÁRIO.
A companheira ou a segunda esposa só não teria direito caso não tivesse uma pensão decretada em uma ação de alimentos. Não interessa o valor baixo da pensão, pois no caso de morte o valor da pensão será aquela estipulada pela Previdência Social dividida e
ATENDIMENTO: INSS reduz Tempo Médio de Espera no Agendamento em vários estados
Amazonas registrou redução de 64% no TMEA em 12 meses
A inconstitucionalidade da responsabilidade solidária imputada aos sócios e administradores das empresas por débitos previdenciários
Como é sabido, por existir evidente distinção entre a pessoa jurídica e a pessoa física dos seus sócios e administradores, o Código Tributário Nacional prevê que os administradores da pessoa jurídica só poderão ser responsabilizados por débitos exigidos d
AUXÍLIO RECLUSÃO, SEGURADO QUE NUNCA CONTRIBUIU PARA A PREVIDÊNCIA
Para visualizar o conteúdo desta matéria clique sobre o título da mesma.
PERDA DA CONDIÇÃO DE SEGURADO DA PREVIDÊNCIA
Para visualizar o conteúdo do texto clique sobre o seu título
Aposentados até 2003 podem receber diferença no benefício
Baseados na decisão a uma pessoa de Sergipe, o Supremo Tribunal Federal (STF) liberou os juízes para decidirem da mesma forma em ações de aposentados que reclamam de duas medidas do INSS que achataram os benefícios, uma de 1998 e outra de 2003. Portanto,
STJ determina fim da greve de médicos peritos do INSS
O ministro Humberto Martins, da Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou hoje o retorno ao trabalho dos médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Martins reconsiderou decisão liminar anteriormente tomada e ente
SEU DIREITO - PREVIDÊNCIA
O Brasil assinou um tratado com o Japão, compartilhando as contribuições previdenciárias. Isso significa que as pessoas que trabalharam e contribuíram no país asiático podem se utilizar de tal tempo de contribuição para obter os benefícios da Previdência
A solução da previdência brasileira é moleza
Vamos lá. Na previdência dos servidores públicos só há uma saída: a capitalização dos regimes próprios. Sem possibilidade de aumentos expressivos do número de servidores – pela não necessidade, já que o Estado brasileiro deve se limitar às atividades esse
Sem soluções para desarmar a bomba-relógio da previdência
Uma “bomba” chamada fundo previdenciário está armada no Paraná. É alimentada pela falta de repasses do governo do estado. O déficit já chega à casa do bilhão e continua aumentando ano a ano. Se não for desarmada, pode comprometer os pagamentos das futuras

Total de Resultados: 353

Mostrando a página 10 de um total de 36 páginas

InícioAnterior12345678910111213141516171819PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover