Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Juízes pedem vale-refeição e auxílio-moradia
Brasília - A Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) apresentou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) um...
Médicos negam-se a fazer perícias em pobres
O texto a seguir é de autoria do Juiz Federal Francisco Alves dos Santos Júnior, da 2ª Vara de Pernambuco.
veja mais

 

15/09/2008 - Das algemas ao banco dos réus...

Elias Mattar Assad

Os advogados criminalistas do Paraná, pela respectiva associação, em 1992, baseados na premissa da ilegalidade da prática consuetudinária de colocar os acusados em lugar de destaque nas cerimônias judiciais, distante de seus advogados, iniciaram um movimento nacional indagando: "quem inventou o banco dos réus?"

O Conselho Federal da OAB, após parecer do saudoso Dr. Luis Carlos Borba, emitiu a seguinte nota oficial: "...tendo em vista a aprovação unânime, havida em sessão plenária do dia 16/6/1992, do parecer emitido no processo n.º 3657/92 e objeto da matéria suscitada pela Associação Paranaense dos Advogados Criminalistas, pertinente à abolição do "banco dos réus" dos recintos dos edifícios forenses do País, e; considerando que essa prática não encontra respaldo em qualquer norma processual penal específica; considerando, outrossim, que esse insólito expediente só coexiste ao longo do tempo, por força de ausência de formal objeção a respeito; considerando os subsídios inseridos nas moções das bancadas das Seccionais de Santa Catarina e Espírito Santo; considerando, ainda, a firme posição externada por todas as Seccionais e centenas de Subseções da OAB, corroborada por milhares de advogados e também, por diversas forças vivas da sociedade civil brasileira; considerando, por final e sobretudo, a existência de precedentes manifestações de vários magistrados determinando a supressão do "banco dos réus", em inúmeros julgamentos já realizados no cotidiano forense; resolve emitir a seguinte nota oficial:

Fiel às suas tradições de permanente vigília aos direitos fundamentais do cidadão, entre os quais se agregam aqueles que não admitem tratamento degradante e ausência de ampla defesa aos acusados em geral, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, vem manifestar publicamente sua decisão de lutar pela extinção do uso do "banco dos réus" que assim deve ser abolido de todos os atos e julgamentos havidos nos processos criminais em geral, como também, postular, que doravante, os acusados passem a integrar pessoalmente a tribuna de defesa e que esta, primordialmente, nos julgamentos perante o tribunal do júri, fique localizada à direita do assento destinado aos magistrados. Brasília, 24 de junho de 1992. Marcelo Lavenère Machado Presidente".

Vivemos em época de tentativas de implementação da Constituição de 1988. Temos uma série de posicionamentos corajosos do STF em prol dos direitos fundamentais e este, recentíssimo, do STJ anulando, por ilicitude, condenação baseada em abusivas "escutas telefônicas" próprias de um "estado policial", onde o Ministro Nilson Naves destacou: "...que tudo se faça, mas de acordo com a lei..."

A sociedade brasileira não pode deixar de registrar que devemos tais avanços aos heróicos advogados brasileiros que lutam pela legalidade, muitas das vezes com riscos de represálias.

A Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas, que tem entre seus objetivos a luta pela defesa do estado democrático de direito e o aprimoramento das instituições, rende todas as homenagens aos destemidos colegas que sustentam teses nunca antes sufragadas pelos tribunais, entre eles, e de maneira muito especial, um dos membros fundadores da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas Abrac, doutor Jacinto Nelson de Miranda Coutinho, integrante da Comissão de Reforma do Código de Processo Penal do Senado da República.

Vou aproveitar este momento de homenagem e provocar doutor Jacinto para se posicionar a respeito da "abolição do banco dos réus do recinto dos tribunais" e sobre nossa proposta de "tutela no manejo das normas processuais". Será que neste novo Brasil que está se delineando os operadores do direito serão compelidos, por lei, a respeitarem as normas processuais? Os acusados ingressarão nos recintos dos tribunais de cabeça erguida e tomarão assento ao lado dos seus advogados e não no famigerado "banco dos réus", como em alguns países que devotam maior apreço aos direitos dos acusados?

Elias Mattar Assad é presidente da Associação Brasileira dos Advogados
Criminalistas.
www.abrac.adv.br

O Estado do Paraná – 14-09-2008

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  O Estado do Paraná
Imprimir   enviar para um amigo
Um julgamento que ficará para a história
Londrina - Já era alta madrugada quando a juíza Adriama Katsurayama Fernandes e Silva declarou o réu Édison dos Santos Rodrigues, 31 anos, o ''Zóza'', culpado pela morte do garoto Dener Washington Matias, 11 anos, morto na manhã de 14 de julho de 2006 enq
SEU DIREITO - PROCESSO PENAL
A pessoa arrolada em um processo penal como testemunha tem a obrigação de comparecer no juízo para depor, dizendo a verdade sobre os fatos de que tem conhecimento. A testemunha presta o compromisso de dizer a verdade e, se mentir ou calar a verdade, respo
REFLEXÃO JURÍDICA - No­vo CPP bus­ca ­maior isen­ção no jul­ga­men­to
Embora venha sendo discutido desde 2008, o projeto de lei que prevê a reforma do Código de Processo Penal (CPP) ainda é alvo de questionamentos e levanta dúvidas sobre os seus 702 artigos. Entre as inovações mais polêmicas está a exigência de dois magistr
JUSTIÇA - Homem que negar DNA pode ser declarado pai
Mais um passo em direção à proteção dos direitos da criança brasileira. O Projeto de Lei (PL) nº 53/07, que estabelece a presunção de paternidade no caso de recusa ao exame de DNA nos processos de investigação para determinar quem é o pai de uma criança,
STJ anula decisão de pronúncia por excesso de linguagem do juiz
A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), com base no voto do ministro Jorge Mussi, anulou uma sentença de pronúncia do juízo singular por excesso de linguagem do juiz, entendendo que, da forma como a decisão foi redigida, poderia influenciar
O Exame Criminológico e a equivocada Resolução N.º 009/2010 do Conselho Federal de Psicologia
Com o advento da Lei 10.792/2003, que entre outras providências alterou a redação do art. 112 da Lei de Execução Penal, estabeleceu-se acirrada discussão na doutrina a respeito da admissibilidade, ou não, do exame criminológico por ocasião da progressão d
Monitoramento eletrônico do preso
A bancada do populismo penal (a que vende a ideia de que todos os males da insegurança pública podem e devem ser resolvidos com mais leis punitivistas e exemplares) sofreu uma grande derrota: Lula vetou em quase sua totalidade o projeto de lei sobre monit
A Inconstitucionalidade da Lei N.º 12.234/2010 (final)
O retrocesso imposto com a Lei n.º 12.234, de 5/05/2010, afronta o princípio da razoável duração do processo. Realmente, além de impor ao Estado essa exigência elementar entre os direitos fundamentais, a Constituição Federal estabelece uma cláusula de efi
Recursos no Processo Penal: Causa de morosidade ou espaço de cidadania?
Tramita no Congresso Nacional projeto que vai instituir um novo Código de Processo Penal, ou seja, o novo regramento de como as causas criminais serão processadas e julgadas em nosso país.
DIREITO DE DEFESA - 'Novo código é autoritarismo condenável'
Limitar o número de recursos e reduzir em até 70% o tempo médio de tramitação de ações judiciais. Estes são os principais objetivos do Novo Código de Processo Civil (CPC), que foi apresentado por uma comissão de juristas do Senado Federal. O novo texto, q

Total de Resultados: 216

Mostrando a página 4 de um total de 22 páginas

InícioAnterior12345678910111213PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover