Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


VOCÊ JÁ VIU UM FOGÃO DE AÇO INOX ONDE NÃO SE PODE DEIXAR CAIR NADA QUENTE, SENÃO GRUDA E NÃO SAI MAIS? POIS ESSE FOGÃO EXISTE E O DAKO CLASSE CINCO BO
Para visualizar o conteúdo desta matéria clique no título da mesma.
Habitação - Casas populares “encolhem”
Idosos recebem terreno maior - Miguel Rodrigues da Silva é um dos poucos privilegiados entre os 12 mil habitantes que...
veja mais

 

18/06/2008 - A Execução Penal no Estado do Paraná (I)

René Ariel Dotti [15/06/2008]

“É assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral”.
(Constituição, art. 5.º, XLIX)

A imprensa nacional reproduziu a lamentação do Deputado Federal Domingos Dutra (PT-MA), relator da CPI destinada ao levantamento sobre os mais graves problemas do sistema penitenciário brasileiro. Segundo ele, os governos precisam compreender que cuidar do sistema carcerário é cuidar da segurança pública. Os dados apurados mostram que as prisões se transformaram em universidades do crime. O presos passam anos sem qualquer atividade que lhes crie a perspectiva de um retorno positivo à sociedade livre. E acentua a desesperança: “Dos 440 mil presos no Brasil, 80% não trabalham nem estudam. Sem aprender nada de útil durante anos, os recém-libertados não conseguem ressocializar: “O sujeito entra no sistema analfabeto e sem profissão.

 Depois sai analfabeto, sem profissão, idoso e com o atestado de presoestampado na testa’”. (Gazeta do Povo, 2/6/2008, p. 4). A reportagem não alude aos presídios do Paraná, embora o sistema penitenciário local tenha também deficiências e problemas.
Mas tal panorama já denunciado na CPI do Sistema Penitenciário da Câmara dos Deputados (1976/1977) pelo então Deputado Ibrahim Abi-Ackel e depois Ministro da Justiça (1980/1985)

, não desanima e nem constitui obstáculo intransponível para determinadosmagistrados que cumprem seus encargos funcionais com a alma aberta “às dores do mundo” e empenham seus esforços para reduzir as graves dificuldades que o cotidiano lhes põem à mesa de trabalho, ao seu coração e à sua consciência jurídica. Sou testemunha da prática desse trabalho missionário, quando os magistrados das Varas de Execução Penal em Curitiba se dedicam intensamente para cumprir os princípios constitucionais e legais inerentes à humanitária execução penal.

Uma bem fundamentada exposição sobre as suas funções e responsabilidades foi dirigida pelos juízes da Execução Penal de todo o Estado ao Desembargador José Vidal Coelho, em linguagem apropriada e com inegáveis razões humanas, sociais e jurídicas. Tendo em vista a aprovação, pela Assembléia Legislativa, do projeto de iniciativa do Órgão Especial do Tribunal de Justiça, da criação de cargos em comissão de assessor de Juiz de Direito, eles requerem a designação de assessores para todas as varas de Execução Penal que cumulem ou não a Corregedoria dos Presídios.

A justa reivindicação é assinada por Christine Kampmann Bittencourt (Guarapuava), Cristiane Tereza Willy Ferrari (Londrina), Paulo Damas (Cascavel), Celso Guisard Thaumaturgo (Foz do Iguaçu), Alexandre Kozechen (Maringá), Antonio Acir Hrycina (Ponta Grossa), Marcio José Tokars, Lourival Chemim, Roberto Antonio Massaro e Carlos Henrique Licheski Klein (Curitiba). (Segue)
rene.dotti@onda.com.br
www.dottieadvogados.com.br


O Estado do Paraná – 15.06.2008

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  O Estado do Paraná
Imprimir   enviar para um amigo
Novas formas de proteção legal da vítima do crime (I)
A Constituição de 1988 admite a ação penal privada nos crimes de ação pública se esta não for intentada no prazo legal (art. 5.º, LIX), recepcionando o art. 29 do Código de Processo Penal. É a consagração do acesso da vítima ou ofendido à jurisdição penal
Sugestões de modificação do anteprojeto do Novo Código de Processo Penal
Art. 9º A autoridade competente para conduzir a investigação criminal, os procedimentos a serem observados e o seu prazo de encerramento serão definidos em lei.
Inconstitucionalidade da execução da pena de prisão
Encontramos expresso na Carta Magna da República Federativa do Brasil, que instituíu o Estado Democrático Direito: "não haverá penas cruéis, infamantes e degradantes" (art. 5.º, inc. xlvii, "e" CF/
O excesso de linguagem na pronúncia e a Lei N.º 11.689/08
O presente ensaio abordará questão referente à pertinência da discussão de excesso de linguagem na decisão de pronúncia, após a reforma pontual do Código de Processo Penal (Lei n.º 11.689/08
O valor probatório das "provas" provenientes de atos de investigação
RESUMO: Contrapondo-se aos alarmantes índices criminais, os quais influenciam a sociedade a exigir o rigor na resposta Estatal como forma de coibir tais ocorrências, a atuação das Ciências Penais na pós - modernidade visa evitar alternativas exclusivament
Sobre Madoff, inveja e soluções
A RÁPIDA e pesada condenação do financista vigarista Bernard Madoff a 150 anos de prisão e seu imediato recolhimento à cadeia (onde, aliás, já estava, mesmo antes da sentença) mereceu de Clóvis Rossi primorosa coluna nesta Folha, sob o sugestivo título "M
O improbus litigator no processo penal
Utilizando-se de analogia legis, um magistrado aplicou elevada multa a advogado, com base nos artigos 14 e 17 do Código de Processo Civil, por ter se utilizado de meio impugnativo impróprio, no exercício da defesa de um condenado por tentativa de homicídi
Tribunais de justiça ou do júri... (I)
O artigo 57, § 4.º, da Constituição do Estado do Paraná, preceitua: "Os deputados serão submetidos a julgamento perante o Tribunal de Justiça do Estado". Assim, todo e qualquer processo a que venha responder um parlamentar estadual, a competência será do
Foro privilegiado em xeque
Estátua da Justiça em frente do prédio do Supremo Tribunal Federal, em Brasília: corte recebe as ações contra o presidente e vice-presidente da República, deputados federais, ministros e outras autoridades. Porém, o STF nunca condenou um congressista
Reforma sugere processo penal com dois juízes
A comissão de juristas formada para sugerir mudanças no Código de Processo Penal propôs a divisão de trabalhos entre dois juízes no decorrer das ações judiciais. A ideia é que um magistrado cuide da etapa de investigação do crime e o outro fique responsáv

Total de Resultados: 216

Mostrando a página 8 de um total de 22 páginas

InícioAnterior1234567891011121314151617PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover