Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Reclamação contra Imobiliária Nova Consultoria
Reclamação: Tenho um imóvel em Salt de Pirapora alugado pela Imobiliária Nova Consultoria, cujo representante é o...
Coluna do leitor
É notável a cobertura que a imprensa nativa está dando ao périplo da blogueira cubana em suas andanças pelo país. A...
veja mais

 

12/04/2010 - Juiz nega novo júri aos condenados do caso Isabella

São Paulo - O juiz Maurício Fossen negou ontem o pedido dos advogados de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá para a realização de um novo julgamento do casal. No último dia 27 de março eles foram condenados pelo assassinato de Isabella, 5 anos, filha de Alexandre.

Segundo o juiz, o recurso foi recebido apenas como apelação. O magistrado afastou a possibilidade de um novo júri. O recurso contra a condenação já tinha sido anunciado por Roberto Podval, que defende o casal, logo após a leitura da sentença do casal.

Os acusados foram condenados por homicídio triplamente qualificado e fraude processual (alteração da cena do crime). O pai de Isabella foi condenado a 31 anos, um mês e dez dias de prisão, e a madrasta, a 26 anos e oito meses de prisão. Os três fatores que aumentaram a pena do casal foram a idade da vítima (abaixo de 14 anos); a ausência de chance de defesa; e o uso de meio cruel. Alexandre Nardoni teve aumento de pena ainda por ter praticado crime contra uma descendente sua.

Isabella foi morta no dia 29 de março de 2008, ao ser jogada do sexto andar do prédio onde morava o pai, na Zona Norte de São Paulo. A promotoria conseguiu juntar provas que condenaram o casal.

Manchas de sangue espalhadas pelo carro e pelo apartamento mostraram que a vitima teria sido agredida antes de ser jogada pela janela. Uma perícia também mostrou que ela foi asfixiada. Outros indícios mostraram que Alexandre provavelmente foi quem subiu na cama e soltou o corpo da filha.

O casal já havia sido preso antes do julgamento. A previsão é de que eles passem pelo menos 10 anos em regime fechado.

Gazeta do Povo – 07-04-2010

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Gazeta do Povo
Imprimir   enviar para um amigo
Uma revolução processual penal...
O Senado Federal, pelo requerimento N.º 227/08, constituiu uma Comissão para elaboração do projeto de Código de Processo Penal integrada pelos notáveis: Antonio Correa, Antonio Magalhães Gomes Filho, Eugênio Pacelli de Oliveira, Fabiano Augusto Martins Si
Uma revolução processual penal...
O Senado Federal, pelo requerimento n.º 227/08, constituiu uma Comissão para elaboração do projeto de Código de Processo Penal integrada pelos notáveis: Antonio Correa, Antonio Magalhães Gomes Filho, Eugênio Pacelli de Oliveira, Fabiano Augusto Martins Si
A nova e obrigatória defesa preliminar do Código de Processo Penal
Entre outras importantes mudanças, ela trouxe para o Código de Processo Penal a chamada defesa preliminar. Ao contrário da antiga, revogada e facultativa defesa prévia, onde simplesmente afirmava-se que as provas seriam produzidas em momento oportuno e er
Juiz solta presos de cadeia
O juiz da comarca de Bacabal (MA) liberou da cadeia, no dia 8/4/09, cinco presos. Determinou o recolhimento domiciliar (o que significa que continuam sob a custódia do Estado, embora a distância). Motivo: superlotação do presídio local. Numa cela de 16 me
Chaveiros e chacotas
"O Estado que pune é o mesmo que deve executar a pena". Qualquer estudante de Direito recebe essas lições nos primeiros dias de aula na faculdade, quase sempre no âmbito da disciplina Introdução ao Estudo do Direito. De conformidade com a nossa Constituiç
Argumento novo na fase da tréplica não constitui ofensa ao contraditório
É possível apresentar novo argumento em tese defensiva na fase da tréplica, não levantado em nenhuma fase do processo, sem violação do princípio do contraditório? A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça, por maioria, decidiu que sim, ao conceder hab
A mão que prende não pode cuidar
É assente no Penitenciarismo que "a mão que prende não pode e não deve cuidar", daí porque as Diretrizes de Política Criminal e Penitenciária em vigor estabelecem no que diz respeito à administração penitenciária de que presos - e aqui pretendemos nos ate
Um juiz, dois julgamentos. Ao mesmo tempo? Pode!
É viável que um só juiz realize dois júris ao mesmo tempo? Na prática, sim. Prova disso é que o juiz de Direito Aluizio Pereira dos Santos, da Segunda Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande (MS), já realizou nada menos que 226 júris simultâneos – desde
Defensoria Pública e presídios
A Constituição Federal de 1988, erigida de uma Assembléia Nacional Constituinte e elaborada depois de 24 anos de regime autoritário, dignificou o exercício da cidadania e dos direitos humanos, no momento em que aprovou um conjunto de direitos e garantias
Réu não é mero objeto processual!
"É comum o indolente ver seus direitos serem tomados pelos ativos. A condição sobre a qual Deus dá liberdade ao homem é a eterna vigilância; se tal condição é descumprida, a servidão é, ao mesmo tempo, a consequência de seu crime e a punição de sua culpa"

Total de Resultados: 216

Mostrando a página 9 de um total de 22 páginas

InícioAnterior123456789101112131415161718PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover